Vidro

O vidro é uma substância sólida e amorfa que apresenta temperatura de transição vítrea (isto é, temperatura que limita os comportamentos sólido e líquido em sólidos amorfos). Em linguagem corrente, a palavra “vidro” se refere a um material cerâmico transparente, geralmente obtido com o arrefecimento de uma massa líquida à base de sílica.

No seu estado puro, o vidro é um óxido metálico super-arrefecido transparente, de elevada dureza, essencialmente inerte e biologicamente inativo, que pode ser produzido com superfícies muito lisas e impermeáveis.

Apesar de, na sua essência, ser um material frágil, vários processos industriais altamente especializados fazem do vidro um material muito resistente para uma infinidade de aplicações na indústria da construção civil.

Certos autores classificam o vidro como um sólido amorfo, ou seja, sem estrutura cristalina. Porém, o vidro apresenta características comuns às substâncias líquidas na sua ordenação atómica, mesmo à temperatura ambiente, na qual possui aparência de sólido, por se tratar de uma substância de alta viscosidade.

O vidro comum é obtido por fusão (a uma temperatura à volta de 1.250 ºC) dos seguintes componentes:

A manipulação do vidro só é possível enquanto este estiver fundido, quente e maleável.

De um modo geral, as principais características do vidro são:

  • Reciclabilidade
  • Transparência (isto é, permeabilidade à luz)
  • Rigidez
  • Não absorvência (isto é, impermeabilidade aos fluídos)
  • Ótimo isolamento elétrico
  • Baixa condutividade térmica
  • Abundância de matérias-primas na Natureza
  • Durabilidade

 

Vidro Simples

Nos dias de hoje o vidro simples é pouco utilizado a nível de janelas e portas, dadas as características muito melhores proporcionadas pelo vidro duplo com os seus derivados.

O vidro simples é mais comum em aplicação de Guardas de varanda, em banheiros na vertente temperado pelo risco de quebra e rigidez, pode ser ainda indicado para divisórias, entre outras situações pontuais, onde não haja a necessidade de características térmicas e acústicas elevadas.

 

Vidro duplo

Os vidros duplos são chamados de vidro termo acústico, pois dependendo da sua composição, podem oferecer isolamento térmico, e também o isolamento acústico. O isolamento térmico é obtido através da câmara-de-ar que serve como isolante para a passagem de calor do vidro externo para o interior do ambiente, em relação ao isolamento acústico, o desempenho pode ser melhorado utilizando vidros mais espessos e laminados.

Os vidros duplos dificultam as trocas térmicas entre os ambientes, mantendo a temperatura interna sempre agradável.

Para ser eficiente no seu objetivo de bloqueio acústico, são utilizados vidros mais espessos como 8mm e 10 mm.

Como em tudo na vida, também os vidros durante a sua vida útil têm problemas, um deles é a condensação, é um fenómeno físico que depende da humidade ambiental existente e da temperatura do vidro. De qualquer maneira podemos atenuar esta situação, pode-se recorrer ao uso de vidro baixo emissivo que fazem com que o vidro interior da unidade de vidro duplo se mantenha a temperaturas mais altas. Isto só é possível com sistemas de vidro duplo ou triplo.

 

Vidro temperado

 

O vidro temperado é usado na grande maioria das casas modernas. Esse tipo de vidro é criado usando vidro derretido e colocando-o sobre o estanho, o que o faz ficar perfeitamente plano e remove a distorção presente nos vidros comuns. O vidro temperado também é benéfico, pois pode ser cortado e modelado usando ferramentas feitas para o corte do vidro.

 

Vidro laminado

Vidro laminado é um tipo de vidro de segurança que mantém em conjunto os estilhaços quando quebrado. É composto por duas ou mais placas de vidro, que são unidas por uma ou mais camadas intermediárias de polivinil butiral (PVB) ou resina. Quando quebrado, os estilhaços ficam presos nesta camada intermediária. Esta característica produz efeito de uma “teia de aranha” quando o impacto não é totalmente suficiente para furar o vidro

 

Vidros termoacústicos

 

O vidro termoacústico é criado a partir do vidro temperado, mas com uma nova característica. Ao fabricar o vidro temperado com um fino revestimento químico sintético em um dos lados, o vidro termoacústico é criado. O produto químico reduz a quantidade de energia de um lado, deixando o calor e ar fresco dentro da casa. O revestimento normalmente possui uma coloração, dando ao vidro uma aparência mais escura.

 

Vidro que autolavável

 

Algumas casas novas também possuem um vidro autolavável. Esse tipo de vidro é feito pelo uso do vidro temperado; no entanto, é fabricado com um produto químico chamado de ”fotocatalítico”, colocado em um lado do vidro. O revestimento permite que os raios do sol quebrem materiais orgânicos como a poeira da superfície da janela, e raramente é necessário limpá-los.

 

Caixa-de-ar do vidro

Em termos gerais, uma eficiência térmica correta resulta com uma caixa-de-ar de 16mm, contudo isto não é uma regra para toda e qualquer obra efetuada, temos sempre que ter em conta as condições da habitação, as características dos vidro, as características do alumínio, entre outros.

Quanto mais baixa a caixa-de-ar maior a transmissão de temperatura de um vidro para o outro, dado que o espaço entre eles é reduzido.

Temos casos de aplicação de gás árgon na caixa-de-ar, este sendo derivado de gases que são obtidos por purificação a partir do ar atmosférico tem um custo mais elevado do que o ar atmosférico normal composto sobretudo por oxigénio e azoto. O preenchimento com Argon, por si só, independentemente do tipo de vidro duplo empregue possibilita uma melhoria de 15% na capacidade de isolamento.

 

Vidros de Capa

São vidros que permitem um melhor controlo luminoso e energético, resultando num maior conforto e poupança, basicamente podem-se dividir-se entre controlo solar (refletem a energia), baixo emissivos (reduzem a transmissão/perdas energéticas) e vidros de altas prestações ou seletivos que incorporam ambas as funções.
Para conseguir o efeito baixo emissivo, estes vidros devem ser sempre aplicados em forma de vidro duplo. A capa tem de ficar sempre para o lado de fora, ou seja temos de proteger a casa da temperatura exterior.

Qual a diferença entre vidro temperado e vidro laminado?

Quando se fala em vidros para a construção civil, os temperados e os laminados estão entre os mais utilizados, sejam para divisórias, forros e pisos, como para revestimentos, guarda-corpos, entre outros. Estes produtos oferecem características técnicas adequadas que atendem uma grande gama de projetos.

Para cada caso há um tipo mais adequado de vidro. No entanto, os dois são considerados vidros de segurança e qualidades parecidas.

O vidro temperado é considerado de segurança por apresentar alta resistência a impactos, por isso é utilizado em divisórias, vitrinas, fachadas, portas, etc. É produzido a partir do vidro comum, é colocado em um forno a 700º, para enrijecer a sua estrutura.

 

Porém, há algumas desvantagens:

  • As peças não podem ser furadas, nem cortadas após o processo de têmpera. Se houverem medidas milimetricamente erradas, a peça inteira será perdida;
  • Pouca flexibilidade em comparação ao vidro normal ou laminado;
  • Risco de estilhaçamento;
  • Pouco indicado para ser utilizado como suporte;
  • Qualquer dano pode provocar estilhaçamento total da peça.

O vidro laminado tem um processo de fabricação bem diferente do temperado. Neste caso, são duas lâminas de vidro comum texturizado, fumê ou mesmo temperado, coladas por uma película de PVB (Polivinil Butiral), geralmente incolor, tendo uma característica diferente de segurança: as peças se quebrarem, ficam coladas na película, evitando que se espalhem pelo chão.

 

O custo do vidro laminado também é um pouco maior que o temperado, porém é mais adequado em algumas situações.

Assim como o vidro temperado, no entanto:

  • Tem pouca resistência a impactos frontais em relação ao vidro temperado.

Vidro, em geral, por ser um material sensível exige quase sempre mão de obra especializada para a sua instalação. Os cuidados devem ser tomados desde antes do processo de fabricação, durante o transporte, o armazenamento das peças e a posterior instalação, para evitar quebras, rachaduras, lascas ou outros tipos de intempéries que possam afetar o material.